Sábado, 10 de Setembro de 2011

Cátia Medronho é a treinadora de Benjamins B

 

A Direcção nomeou a Prof.ª Cátia Medronho como treinadora principal da equipa de Benjamins B (Sub-10), para a época 2011-2012, que representará o JDM no respectivo campeonato distrital promovido pela A. F. Algarve.

 

Cátia Isabel Medronho José, natural de Monchique, tem 22 anos de idade, é licenciada em Treino Desportivo pela Escola Superior de Desporto de Rio Maior.

 

Prof.ª Cátia Medronho está ligada ao JDM desde a época desportiva anterior, tendo sido a treinadora principal do escalão de Benjamins, o qual representou o clube no Campeonato Distrital de Benjamins A, Série A.  

  

Atenta a sua formação académica e as competências pessoais, a Direcção a convidou a mistera Cátia Medronho para técnico principal de Benjamins B que orientará tecnicamente os nossos jogadores nascidos em 2002. Cátia Medronho será coadjuvada por Gabriel Rosa, jogador do plantel sénior. Ainda no campo técnico, este escalão será coordenado pelo Prof. Carlos Almeida. Na área directiva, Benjamins B terá como directora desportiva a Dra. Helena Martiniano e ao nível da Direcção, este escalão, será titulado ao vice-presidente Paulo Alves.

 

    

Paulo Duarte Alves

Dirigente

Dra. Helena Martiniano

Director Desportivo

Prof. Carlos Almeida

Coordenador Técnico

Prof.ª Cátia Medronho Treinador Principal Gabriel Rosa

Treinador Adjunto

 

À Prof.ª Cátia Medronho e à sua equipa desejamos as melhores felicidades e os maiores êxitos, dentro e fora do campo.

 

publicado por jdmonchiquense às 13:00
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 9 de Setembro de 2011

Luís Inácio em entrevista

 

FICHA BIOGRÁFICA

Nome completo:

Luís Carlos Benedito Inácio

Idade: 28 anos

Profissão/habilitação académica:

Licenciado em Educação Física e Desporto pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (ULHT) e Curso de Especialização Pós-Licenciatura em Treino do Jovem Atleta pela Faculdade de Motricidade Humana (FMH-UTL). Técnico Superior de Desporto no Município de Monchique.

Na época 2010-2011:

Foi treinador de Iniciados, em Futebol 11.

 

 

 

ENTREVISTA:


Há alguns anos e após regresso a Monchique, após ter terminado a licenciatura na área do Desporto, tem estado ligado ao JDM na condução e orientação técnica de equipas nos escalões de formação. Quer partilhar connosco que curso frequentou, a universidade e como tem sido essa experiência de técnico de futebol?

Frequentei o curso de Educação Física e Desporto, na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias. A experiência tem sido, a todos os níveis, muito positiva, principalmente, pelo facto de poder contribuir para o desenvolvimento pessoal/desportivo dos jovens da nossa terra, assim como, poder levar o nome de Monchique a outros pontos do país. A nível pessoal tem contribuído para o meu crescimento profissional, dotando-me de experiência e competências que só se adquirem no chamado "trabalho de campo".

 

Entende que as competências adquiridas no curso superior o prepararam para o comando e a orientação técnicos de uma equipa?

Sem sombra de dúvida que é um grande contributo! Providencia-nos ferramentas fundamentais, visto a nossa área ser caracterizada pela multidisciplinaridade. Temos de possuir conhecimentos relativos à modalidade (o Futebol), à metologia de treino inerente, psicologia, gestão de recursos humanos, etc. Todavia, se pretendemos qualidade no nosso trabalho, não nos podemos cingir áquilo que nos foi ensinado na faculdade. A nossa área está em constante evolução e temos de apostar numa formação contínua de forma a estarmos actualizados e aptos a responder da melhor forma aos desafios que nos surgem.

 

É difícil conciliar a vida profissional com a função de treinador?

Até ao momento - vou iniciar o sexto ano como treinador - tem sido compatível, na medida em que, os horários têm permitido a conciliação das duas actividades.

 

Enquanto agente desportivo, antigo jogador de futebol e com formação na área do desporto, certamente tem algum clube de preferência. Qual é o seu clube preferido? E ídolos, tem algum?

Tenho dois clubes de eleição: Sport Lisboa e Benfica e Juventude Desportiva Monchiquense, mas apenas sou sócio de um, do JDM. Enquanto jogador, a minha formação foi feita, maioritariamente, como avançado, pelo que, identificava-me mais com jogadores da mesma posição. Tinha predilecção pelo Ronaldo (o brasileiro apelidado de "Fenómeno") e pelo Nuno Gomes.

 

Na época 2010-2011, sob o seu comando técnico a equipa de Iniciados participou no campeonato distrital e em torneios complementares. Quer falar-nos dessa experiência e avaliar a época?

Foi a minha primeira época no futebol de 11 e saldo por positiva a experiência. Julgo, em conjunto com o meu colega de equipa técnica Cláudio António, ter contribuido para a evolução positiva das competências futebolísticas dos jovens que integraram o plantel, assim como, ter passado valores sociais que considero fundamentais. Os objectivos estabelecidos no início da temporada foram concretizados e julgo que dignificámos o nosso clube e a nossa terra onde quer que tenhamos jogado.

 

  

Recentemente foi-lhe novamente endereçado o convite para continuar ligado ao JDM e para a condução de uma equipa no Futebol 11. O que é que pretende imprimir nessa função?

Dar continuidade ao que de bom foi feito na época transacta, corrigir o que diagnostiquei como menos positivo e elevar a fasquia ao nível da exigência, tanto relativamente ao mim, como aos jogadores.

 

A criação de equipa de pré-escolas, a conquista de lugares nunca alcançados em escalões de formação, a participação em torneios de âmbito nacional, o estabelecimento de um relacionamento interpessoal inestimável com as suas equipas de jogadores, o notável percurso das suas equipas. Quer partilhar connosco qual o segredo para conquistar a atenção e apoio da Direcção às suas ideias e o segredo para o sucesso?

Não há segredo. Um conjunto de factores contribuiu para estes resultados: trabalho de equipa a nível técnico, primeiramente com o meu colega Carlos Almeida e depois com os meus colaboradores ao longo dos anos - José Paulo Crispim, Luís Silva, Emanuel Domingos, Cláudio António - muito apoio por parte da Direcção, acompanhamento dos pais dos jogadores e claro, porque são eles os actores principais, a qualidade dos jogadores!

 

Qual é a sua opinião sobre a estratégia associativa imprimida nos últimos três anos no JDM?

Classifico como muito positiva. A aposta na formação - e os meios que tem colocado ao dispôr para tal fim - a "devolução" do JDM aos monchiquenses - através da revitalização do sentimento de ser sócio do clube e da aposta em monchiquenses na constituição da equipa sénior - e a reabilitação das infraestruturas do clube são aspectos que me fazem atribuir classificação positiva à Direcção.

  

 

Complete a frase:  «Na próxima época vou… dar o meu contributo para que o clube continue a crescer e continuar a trabalhar para que a equipa onde tenho influência mais directa, seja motivo de orgulho para Monchique.

 

 

Que mensagem quer transmitir aos colegas, jogadores e técnicos e aos nossos visitantes do blog?

Que cada um se esforce ao máximo no cumprimento das suas funções, mas que se lembre sempre que estamos num desporto colectivo e como é apanágio neste tipo de desportos, o esforço colectivo contribuirá para melhorar de forma significativa a dinâmica do clube. Relativamente aos visitantes, que continuem a visitar o nosso blog para estarem a par das novidades do clube e, sempre que possível, compareçam nos jogos para apoiar as nossas equipas, ou participem nas iniciativas promovidas pelo JDM.

 

publicado por jdmonchiquense às 00:10
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 23 de Agosto de 2011

Carlos Humberto Almeida em entrevista

FICHA BIOGRÁFICA

Nome completo:

Carlos Humberto Gervásio Correia de Almeida

 

Idade: 28 anos

Profissão/habilitação académica:

Licenciado em Ciências do Desporto - menção Educação Física e Desporto Escolar (FMH-UTL) e Mestre em Treino do Jovem Atleta (FMH-UTL). Técnico Superior de Desporto no Município de Monchique.

Na época 2010-2011:

Integrou a equipa de Seniores do JDM, em Futebol 11. Joga na posição de médio ou lateral esquerdo. Foi treinador de Infantis, em Futebol 7.

 

 

 

ENTREVISTA:


Desde há vários anos a esta parte e após regresso a Monchique depois de ter terminado a licenciatura em Ciências do Desporto, na Faculdade de Motricidade Humana, tem assumido funções de técnico nos escalões de formação no JDM, mas na última época entendeu dedicar-se ainda mais ao clube, vestindo a camisola de jogador e integrando o plantel sénior. Como foi essa experiência de voltar para dentro de campo como jogador e participar num campeonato distrital?

Já havia representado os seniores do JDM na época 2006/2007, ainda a equipa militava na I Divisão Distrital. Entretanto tive de parar devido a compromissos académicos, pois todos os fins-de-semana tinha de me deslocar a Lisboa. Findo a componente curricular do mestrado, e visto dispor de mais tempo, decidi dar um contributo suplementar ao clube no escalão de seniores. Por um lado, sempre tive uma enorme paixão pelo jogo; por outro, senti que poderia ser útil à consecução do projecto da Direcção ao apostar mais nas pessoas da terra e com formação feita no clube. A experiência de voltar a competir na modalidade foi revitalizante.

 

Entende que as competências adquiridas num curso superior e o trabalho desenvolvido como técnico, ainda que nos escalões de formação, contribuíram para a sua valorização como jogador?

Sem dúvida alguma. Adquiri uma série de conhecimentos que me permitiu entender melhor o jogo. Esse tipo de conhecimento também é bastante útil dentro de campo, sobretudo em termos tácticos, devido ao aperfeiçoamento das capacidades de leitura do jogo e de tomada de decisão.

 

É difícil conciliar a vida profissional com o futebol? E a função de treinador com a de jogador?

Estou ligado ao sector do Desporto. Felizmente, o meu empregador - Município de Monchique - permite-me conciliar tudo de há algum tempo a esta parte. É exigente, porém "quem corre por gosto não cansa".

 

 

No ano académico de 2010-2011, terminou o segundo ciclo de estudos universitários, com a conclusão de um mestrado. Quer dizer-nos qual foi o objecto de estudo e as principais conclusões a que chegou?

A minha dissertação foi intitulada de: "Caracterização das Sequências Ofensivas no Futebol Juvenil: Efeitos da Experiência e de Variantes Reduzidas do Jogo" (os interessados podem consultar ou fazer o download em: http://www.repository.utl.pt/handle/10400.5/2827). Em primeiro lugar, a investigação comprovou que a "experiência formal no futebol" (anos de prática federada) manifestou um efeito significativo sobre os indicadores de performance que caracterizam as sequências ofensivas, o que confirma a importância deste factor na formação de habilidades específicas em jovens praticantes de futebol. Por outro lado, também a manipulação do espaço de jogo e do número de jogadores apresentou uma influência significativa nas características das sequências ofensivas produzidas pelos participantes de ambos os grupos experimentais (Inexperiente e Federado). A este nível, concluiu-se que as variantes mais reduzidas de jogo (no caso, o Futebol 4) são especialmente indicadas para crianças/jovens sem experiência formal ou com um menor nível de prática na modalidade, pois possibilitam o desenvolvimento de competências específicas do jogo assentes numa maior relação com a bola. Já as variantes de jogo mais amplas (no caso, Futebol 7) são profícuas para replicar as exigências específicas da situação competitiva e devem ser minuciosamente ponderadas à medida que os jovens progridem na compreensão do jogo e na execução de habilidades táctico-técnicas do futebol.

 

Jogador, Treinador, Mestrando, Técnico Superior de Desporto, com vida profissional e vida própria. Há tempo para tudo? Qual é o segredo para conseguir conciliar tudo isso e fazê-lo com distinção?

O tempo é escasso para tanta coisa; nem sempre é fácil. Não creio que haja segredos ou receitas miraculosas. Felizmente, tenho sentido o apoio e a força necessários de quem me rodeia para poder avançar. A motivação intrínseca também é forte, visto que é algo que devo a Monchique e a esta gente que tão bem me fez durante a minha infância e juventude.

 

Enquanto agente desportivo e com formação na área do futebol, certamente tem algum clube de preferência. Qual é o seu clube preferido? E ídolos, tem algum?

Na realidade sou sócio de dois clubes: o JD Monchiquense e o SL Benfica. Por ordem de preferência, primeiro sou e serei sempre monchiquense, depois benfiquista. Ídolos tinha quando era criança. Idolatrava o João Vieira Pinto (até tinha posters dele no quarto) e nas camadas jovens do JDM fazia questão de ser o número 8 por sua causa. Actualmente, tenho as minhas referências, mas que não são ídolos. Como jogador, admiro o Xavi Hernandez (Barcelona). É um jogador excepcional no meio-campo: tem uma cultura táctica impressionante, lê o jogo como poucos e possui uma qualidade de passe invulgar. Como treinador, admiro o José Mourinho. Não pelo dedo que enfiou no olho do adjunto do Barcelona, mas pelas competências que tem demonstrado ao longo da sua carreira.

 

   

 

Como avalia a época 2010-2011, como jogador de seniores?

Não correu de acordo com as nossas expectativas. O plantel era curto, a disponibilidade de alguns jogadores para treinar era reduzida (onde eu me incluia) e os resultados desportivos nunca apareceram de forma regular. A desmotivação foi progressiva e, posteriormente, surgiram alguns conflitos internos que deterioraram o espírito de grupo. Quando não se funciona como equipa num desporto colectivo, é muito complicado alcançar o sucesso.

 

Na época 2010-2011, sob o seu comando técnico a equipa de Infantis sagrou-se campeã no Torneio Complementar da Associação de Futebol do Algarve, na modalidade de futebol 7. Este é o primeiro título conseguido pelo JDM, nos tempos recentes, num escalão de formação. O sucesso deveu-se a que factores?

Empenho, sentido colectivo e determinação. A época não começou da melhor forma, mas todos os miúdos evoluíram imenso no decurso dos nove meses. Todos eles progrediram excepcionalmente e a equipa tornou-se mais competitiva. Se na primeira volta da 1ª Fase tinhamos duas vitórias e seis derrotas, na segunda volta conseguimos precisamente o inverso. Não nos apurámos para a 2ª Fase por muito pouco. No Torneio Complementar e no Torneio das Eiras (Odiáxere) os nossos jovens apresentaram uma atitude fantástica e, aliando muita dedicação a talento que sempre existiu, acabaram por vencer duas competições contra equipas de qualidade.

 

Recentemente foi nomeado como Coordenador Técnico para o Futebol 7 no JDM. O que é que pretende imprimir nessa função?

Acima de tudo, o que é fundamental é que os miúdos possam ser brindados com formação de qualidade. Nos escalões de Benjamins (Sub-10 e Sub-11) e Infantis (Sub-13) as crianças ou jovens apresentam uma enorme plasticidade em termos cognitivos, físicos e coordenativos. Os conteúdos que se trabalham nestas idades são facilmente assimilados, como se os miúdos fossem autênticas esponjas: absorvem tudo. Assim sendo, juntamente com os meus colegas, tentarei proporcionar métodos de treino que fomentem o desenvolvimento dos nossos praticantes nos mais diversos factores do processo de treino (táctico, técnico, físico, social e psicológico).

 

   

 

Qual é a sua opinião sobre a estratégia associativa imprimida nos últimos três anos no JDM?

A minha opinião é extremamente favorável. Acho que a Direcção está a percorrer o caminho certo, o que só peca por tardio. Devo deixar uma palavra de apreço aos nossos elementos da Direcção e torcer para que continuem assim, empenha e abnegadamente, durante longos anos. O JDM e Monchique agradecem!

 

Complete a frase:  «Na próxima época vou… continuar a dar o meu melhor em prol do Juventude Desportiva Monchiquense. Como coordenador Futebol 7 e treinador de Infantis vou, como referi anteriormente, procurar brindar as crianças/jovens com uma formação de qualidade. Por sua vez, nos seniores, vou contribuir ao máximo para que o grupo seja coeso e competitivo.

 

Que mensagem quer transmitir aos colegas jogadores e técnicos e aos nossos visitantes do blog?

O JDM está a crescer a olhos vistos. Todos nós - jogadores, treinadores, directores, sócios e simpatizantes - devemos permanecer unidos e "puxar" para o mesmo lado. Se aderirmos em massa ao que o Presidente Victor Santos se refere como "Orgulho Monchiquense", decerto que iremos projectar o nome do Juventude Desportiva Monchique e de Monchique cada vez mais além. Partilhando a mesma identidade, o mesmo orgulho, seremos muito mais fortes. Monchique merece esse reconhecimento.

 

publicado por jdmonchiquense às 00:04
link do post | comentar | favorito

.mais sobre o JDM

.Onde estamos

Rua do Bemparece, 1 - 1.º - 8550-441 Monchique; tel./fax 282913700; E-mail: jdmonchiquense@afalgarve.pt

.EM DESTAQUE...

A quotização de 2020 já se encontra a pagamento. Deve utilizar a mesma entidade e referência fornecidas para o ano anterior.

.pesquisar

 

.Abril 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Cátia Medronho é a treina...

. Luís Inácio em entrevista

. Carlos Humberto Almeida e...

.arquivos

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Outubro 2019

. Agosto 2019

. Fevereiro 2019

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

.tags

. todas as tags

.links